Como trabalhar a Páscoa Cristã na escola? | E-docente Como trabalhar a Páscoa Cristã na escola? | E-docente

Como trabalhar a Páscoa Cristã na escola?

13 de abril, 2022 - Por e-docente

Compartilhar

O que mais vemos em época de Páscoa em escolas é a grande presença de elementos da época como coelhos, suas orelhas, ovos de galinha pintados ou ovos de chocolates. É compreensível se pensarmos no forte apelo desses elementos nas vitrines, nos supermercados e nas mídias em geral. 

Como ultrapassar esses apelos comerciais? Como transformar esses elementos em símbolos? É sobre isso que trataremos e caberá a você, professor e professora, adequar o que propomos à faixa etária com a qual trabalha.

O que sabem nossos estudantes?

Ao iniciar o trabalho, é sempre muito rico levantarmos o que o grupo entende por Páscoa e como a data é celebrada na família e na comunidade. 

É um momento de escuta atenta e, com essas informações, seu planejamento atenderá pontos estratégicos, centrando-se nos equívocos e reforçando saberes interessantes que trazem.

O registro do conhecimento, trazido pelos alunos e alunas, poderá pautar um fechamento que explore o que aprenderam. É sempre muito bom ter consciência de aprendizados.

Como trabalhar a Páscoa cristã em sala de aula?

Bem sabemos que a Páscoa é um dos mais importantes momentos do calendário cristão, uma celebração que envolve uma semana de acontecimentos. Mas, os cristãos celebram, principalmente, a ressurreição de Jesus Cristo. 

Essa história, que envolve várias passagens, pode ser explorada com nossos estudantes por meio da leitura de trechos bíblicos ou simplesmente contada aos nossos alunos e alunas. O registro com desenhos e/ou escrita pode garantir a sequência dos acontecimentos.

Uma alternativa para esse trabalho poderá ser o registro dos momentos da Semana Santa, com desenhos, e o grupo poderá ser dividido em equipes e cada uma delas ilustrando uma passagem. Além de desenhar, podem preparar o relato do representado e, assim, quando todos expuserem seus trabalhos a sequência de fatos estará garantida.

A Páscoa é celebrada só pelos cristãos?

Conhecer outras culturas, outras religiões é o primeiro passo para uma cultura de respeito e paz. Portanto, a abordagem de determinado tema do ponto de vista de mais de uma religião é fundamental, mesmo porque podem estabelecer diferenças e encontros e perceberem que podem estar voltadas para os mesmos valores.  

Enquanto os cristões celebram, na Páscoa, o renascer, o reinício, os judeus celebram a libertação, a travessia, a possibilidade de uma nova vida. 

Contar de forma breve as duas histórias e propor ao grupo que sejam estabelecidos pontos em comum, dependendo da faixa etária com a qual se trabalha, poderá ser uma forma de promover um olhar respeitosamente às duas ou a mais religiões.

Quem conhece essa história?

Alunas e alunos poderão ser desafiados a investigarem junto a suas famílias e/ou amigos na comunidade se essas histórias são conhecidas. Quando trouxerem esses dados, poderão refletir como é festejada a Páscoa sem esse conhecimento.

O que acham sobre isso? E, se quiserem, poderão contar essa história para aqueles que não conhecem, ressaltando os valores que pautam essa época do ano.

Pensar sobre significados

Centrando o trabalho nos significados da Páscoa, é preciso, antes, elencá-los com o grupo e discutir o que entendem por cada uma das ideias. 

Vamos trabalhar aqui com as ideias do “renascer”, da “nova vida” e das “novas oportunidades”. Essa discussão poderá ser encaminhada com as perguntas:

· O que renasce? O que é preciso para algo renascer? Uma amizade, por exemplo.

· Quando temos novas oportunidades? Refazer sempre é algo bom?

· Quando precisamos e queremos novas oportunidades?

· O que é preciso para que tenhamos uma nova vida? Depende de quem?

Qual o significado dos símbolos da Páscoa?

Esse momento poderá ser iniciado com a listagem do que vemos em nossa cidade em época de Páscoa. Certamente, o grupo de estudantes trará ovos, coelhos e chocolates. 

Fundamental é que saibam sobre alguns animais que nascem de ovos e como os coelhos nascem. Dependendo da faixa etária, logicamente, você deve garantir essa conversa, e é muito provável que se surpreenda. 

O desafio seguinte poderá ser a busca de relação entre esses símbolos com as ideias discutidas sobre os significados ou sobre os fatos da Páscoa já trabalhados. Os ovos e as ideias do renascer, da nova vida, do recomeçar não são difíceis de fazê-los perceber a relação, mas o coelho…

Diferentes versões sobre uma questão ou sobre as origens de algo faz com que entendamos que a cultura é algo em constante construção e que não é construída a partir de uma experiência humana apenas. A cultura é construída por muitos e através da história. 

Por isso, pode ser muito enriquecedor apresentar aos alunos e alunas as muitas versões sobre as origens de símbolos da Páscoa como o coelho e o ovo.

Coelho

Muitos cristãos creem que o coelho passou a simbolizar a Páscoa uma vez que um ficou preso na sepultura de Jesus Cristo e, portanto, presenciou a ressurreição. O coelho passou, então, a carregar e distribuir ovos como símbolo da vida e do renascimento.

Mas, muito antes do nascimento de Cristo, os egípcios já entendiam o coelho como símbolo da fertilidade, símbolo da vida por conta das grandes ninhadas desse pequeno animal.

Outra explicação diz que, no Hemisfério Norte, o coelho passou a simbolizar renascimento por ser o primeiro animal a sair da toca no final do inverno e no início da primavera. Essa tradição foi trazida para o Brasil na ocasião do movimento imigratório alemão, no início do século 20.

Ovo

Na era não cristã, em muitas regiões do Hemisfério Norte, no dia 21 de março, era costume a troca de ovos como forma de celebração do final do inverno e início da primavera.

Um costume pagão que foi apropriado, de alguma forma, pela cultura cristã. 

Especialmente na Alemanha, esses ovos são coloridos e pendurados em árvores. Na Itália, ovos coloridos são colocados nas mesas de refeição na época da Páscoa.

Chocolate

No século 18, franceses experimentaram rechear as cascas dos ovos de galinhas com chocolate, o que logo caiu no gosto de todos e se espalhou por grande parte do mundo.

Muitas versões, muitas histórias, muitas culturas. É assim que as tradições e as religiões se formam, e também por essa pluralidade, complexidade, todas devem ser respeitadas.

Com todos esses significados, nossos alunos e alunas podem desenhar coelhos, ovos, mas sabendo o porquê de estarem fazendo tal atividade. E, como fechamento do trabalho, os/as colegas da classe podem trocar ovos recheados de bons desejos e bons votos expressados em breves mensagens.

Assim, o sentido maior da Páscoa pode extrapolar a data comemorativa e representar o desejo de renovação em qualquer momento do ano.

Então… a você, professora e professor, independentemente de quando estiver lendo este texto: uma Feliz Páscoa!

Para saber mais

Acontecimentos da Semana Santa

Qual a relação entre a Páscoa judaica e a cristã? 

História da Páscoa

Compartilhar


Deixe seu comentário