Quais são os campos de experiência da BNCC? | E-docente Quais são os campos de experiência da BNCC? | E-docente

Campos de experiências da BNCC e o desenvolvimento das crianças na Educação Infantil

15 de abril, 2021 - Por e-docente

Compartilhar

Os campos de experiências constituem um arranjo curricular que acolhe as situações e as experiências concretas da vida cotidiana das crianças e seus saberes, entrelaçando-os aos conhecimentos que fazem parte do patrimônio cultural. 

Quais são os 5 campos de experiência na Educação Infantil?

Na concepção da Base Nacional Comum Curricular Educação Infantil, considerando os seis direitos da criança (conviver, brincar, participar, explorar, expressar, conhecer-se), estão estabelecidos cinco campos de experiências, por meio dos quais as crianças, interagindo e nas brincadeiras, possuem condições de aprender e se desenvolver:

  1. O eu, o outro e o nós;
  2. Corpo, gestos e movimentos;
  3. Traços, sons, cores e formas;
  4. Escuta, fala, pensamento e imaginação; e
  5. Espaços, tempos, quantidades, relações e transformações.

A definição e a denominação dos campos de experiências se baseiam no que dispõem as Diretrizes Curriculares Nacionais da Educação Infantil (DCNEI), em relação aos saberes e conhecimentos fundamentais a serem propiciados às crianças e associados às suas experiências.

CAMPOS DE EXPERIÊNCIA da BNCC: O que são? Como trabalhar com eles? com Patrícia Sanches

1° campo de experiência: O eu, o outro e o nós

O primeiro campo de experiência, “O eu, o outro e o nós”, é fundamentalmente o desenvolvimento exploratório das crianças e está fundamentado na interação tanto entre as próprias crianças, quanto destas com adultos. Por meio da interação, as crianças vão constituindo um modo próprio de agir, sentir e pensar e vão descobrindo que existem outros modos de vida, pessoas diferentes, com outros pontos de vista. 

Vivem suas primeiras experiências sociais (na família, na instituição escolar, na educação infantil, na coletividade), constroem percepções e questionamentos sobre si e sobre os outros, diferenciando-se e, simultaneamente, identificando-se como seres individuais e sociais.

Acesse já o material para download: Como trazer a BNCC para a sala de aula?

2° campo de experiência: Corpo, gestos e movimentos

O segundo campo de experiência, “Corpo, gestos e movimentos”, propicia o desenvolvimento da natureza mais perceptiva, ou seja, aquele que se dá por meio dos sentidos, gestos, movimentos impulsivos ou intencionais, coordenados ou espontâneos das crianças. 

Desde cedo, os pequenos exploram o mundo, o espaço e os objetos do seu entorno, estabelecem relações e, durante a etapa da Educação Infantil, expressam-se, brincam e produzem conhecimentos sobre si, sobre o outro, sobre o universo social e cultural e desenvolvem sua corporeidade.

Leia também: Desafios da pandemia: Novos processos educativos envolvendo o corpo, movimento e jogos.

3° campo de experiência: Traços, sons, cores e formas

O terceiro campo de experiência, “Traços, sons, cores e formas”, possui uma natureza cultural, em que a criança vai conviver com diferentes manifestações artísticas, culturais e científicas, locais e universais. 

Tal como os outros campos, ele deve fazer parte do cotidiano da educação infantil na instituição escolar, possibilitando de diversas formas de expressão e linguagens, como as artes visuais (pintura, modelagem, colagem, fotografia cinema), a música, o teatro, a dança, entre outras.

4° campo de experiência: Escuta, fala, pensamento e imaginação

 O quarto campo de experiência, “Escuta, fala, pensamento e imaginação”, é um campo de ação primordialmente ontogenético (ou seja, determinada pelo potencial genético da criança e modulada pelo meio ambiente), pois desenvolve a criança para lidar com situações comunicativas cotidianas com as pessoas com as quais interagem desde o seu nascimento.

Na Educação Infantil, é importante promover experiências nas quais as crianças possam falar e ouvir, potencializando sua participação na cultura oral e garantindo-lhe condições para se constituir ativamente como sujeito singular e pertencente a um grupo social.

5° campo de experiência: Espaços, tempos, quantidades, relações e transformações

Por fim, o quinto campo de experiência, “Espaços, tempos, quantidades, relações e transformações”, possui uma natureza socioambiental inclusiva, pois trabalha espaços e tempos de diferentes dimensões em que as crianças vivem inseridas na nossa sociedade. 

Na Educação Infantil, crianças precisam ser estimuladas a demonstrar curiosidade sobre o mundo físico (seu próprio corpo, os fenômenos atmosféricos, os animais, as plantas, as transformações da natureza, os diferentes tipos de materiais) e sobre o mundo sociocultural (as relações de parentesco e sociais entre as pessoas que conhece; como vivem e em que trabalham essas pessoas; quais suas tradições e seus costumes; a diversidade humana e cultural entre elas).

Qual a importância dos 5 campos de experiência na Educação Infantil?

Não seria exagero dizer que o desenvolvimento pleno destes cinco campos de experiências preconizados pela BNCC para a Educação Infantil servirá como um alicerce, apoio na transformação das crianças em adultos seguros, sensíveis, perspicazes e com grande autonomia e desenvolvimento de inteligência emocional e cognitiva.

Leia também: O desafio do desenvolvimento das competências e habilidades propostas pela BNCC, em tempos de educação remota.

 

Fonte: BRASIL, Ministério de Educação    Base Nacional Comum Curricular BNCC – disponível em http://basenacionalcomum.mec.gov.br/  acesso em 30 abr. 2021

 

Patricia Sanches Giordano

Pedagoga; Mestre em Educação, com ênfase em Formação de Professores; Professora Universitária; Secretária-Adjunta da SEDUC de Cubatão. Coordenou os cursos de Pedagogia e Psicologia na Universidade São Judas Tadeu – Campus Unimonte.

Compartilhar


Deixe seu comentário